terça-feira, 26 de abril de 2016

Leveza

Eu queria muito escrever um texto sobre as maravilhas dessa viagem, da região em que estamos, do que estamos vivendo. Pensei até num título: “nem tudo são dores”, já que meus dois últimos posts foram um lamento só. Mas não consigo!

Gente, alguém me salva de mim. Busquei muito esse momento de estar num, digamos, vazio, sem compromissos, obrigações, agenda. Queria só estar, curtir a praia, a família, os amigos novos e antigos. A única questão é que EU vim junto na viagem!!!

Tenho tido contato direto com meus humores, em especial os maus. Com minha insatisfação, meu jeito crítico e autocrítico, minhas culpas. To tão perto de mim!

Outro dia fui fazer uma massagem divina. Era a 5ª sessão e no meio dessas a massoterapeuta já havia cancelado alguns dos encontros por pelo menos 5 vezes. Todos motivos justificáveis. Mas 5 vezes! Eu fui super empática em todas. Aprendi a ser, a não bater depois perguntar, a me colocar no lugar do outro. Mas o curioso é que na nossa última conversa ela me revelou que me acha brava. Brava!? Tá, eu sou brava, mas achei que estava disfarçando bem. Só que não, essa energia brava tá em mim, vibrando, me revelando pras outras pessoas.

Também confirmei minha dificuldade de relaxar, de deixar fluir, de não cobrar. Hoje, depois de 40 dias na praia, consegui ir pro mar sozinha e sem culpa, relaxar um pouco.

Apesar dessas constatações, to contente. Saquei minha falta de leveza e isso me deixou tão mais leve, tão mais tranquila. To aqui escrevendo tendo o céu, o mar, os coqueiros, o vento na minha frente. E com tempo pra fazer isso. Tudo tão gostoso.

Então pude entender que esse primeiro momento da viagem foi pra isso, pra chegar no fundo do meu poço (espero ter chegado). Agora posso iniciar a curva ascendente já que me descasquei pra mim mesma, me vi cruamente.


Quero ser uma boa companhia, quero que o agora valha a pena, quero não deixar para meus filhos a lembrança de uma mãe mau humorada, amargurada, insatisfeita. Por isso preciso olhar pra essa mulher, buscar de onde vem isso e assim dar um longo passo em direção à leveza. Lá vou eu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário