sábado, 5 de abril de 2014

Esperar, confiar

Quantas vezes por dia eu faço algo no lugar do meu filho. Não tenho paciência de esperá-lo cumprir a tarefa a que se propôs. Só depois percebo a minha antecipação.

Agora mesmo ele derrubou dois pedaços de abobrinha pra fora do prato. Na maior concentração, após algumas tentativas, consegue pegar o primeiro. Eu, mais que depressa, recolho o segundo.

Pressa. Pressa. Pressa. Pra ir aonde? Pra fazer o que?

Que bom esperá-lo terminar o que se propôs sem interferir, sem passar mensagens desestimulantes como: você é lento, você não consegue sozinho, você precisa de ajuda.

Nada disso é verdade. Ele vai no seu tempo, na sua habilidade, superando-se, conquistando confiança, ganhando autonomia.

Paciência Clarissa! aguarde o tempo que ele chega.


2 comentários: